Foto: Reuters
 
Em pouco tempo de trabalho, Jorge Jesus comandou uma revolução vitoriosa no Flamengo. Mas o treinador espera ainda mais do clube em 2020. Um dos pontos de evolução, de acordo com o Mister, está na valorização dos jogadores do clube.
 
Em longa entrevista ao canal "CMTV", de Portugal, Jesus abordou a negociação envolvendo Reinier, que se aproxima de um acerto com o Real Madrid, e criticou as cifras.
 
O Flamengo não sabe valorizar a sua marca. O Reinier não pode ser vendido por 30 milhões de euros. Nisso o Benfica é espetacular, porque vende até mesmo acima dos valores. O Flamengo ainda não sabe valorizar os seus jogadores - disse Jesus.
 
Nas mais de três horas de conversa, o português fez questão de destacar o carinho dos torcedores e analisou o planejamento para 2020. Com contrato até o meio do ano, Jesus acredita num Flamengo ainda mais forte com os reforços.
 
- Eles querem contratar mais seis, sete jogadores para montar um plantel. Estou seguro que a equipe do Flamengo vai ficar mais forte, é mais tempo de trabalho, as ideias vão se juntando.
 
O trabalho, marcado pelos títulos do Brasileiro e Libertadores, chamou a atenção do mundo. Jesus revelou que as propostas apareceram antes mesmo do fim da temporada, por valores fora da realidade, mas que o foco estava no Flamengo.
 
 
- Eu fui convidado por duas equipes chinesas, onde me pagavam o que nenhum do mundo ganha. Antes da final da Libertadores. Eu disse a eles que antes da final da Libertadores e principalmente do Mundial eu não queria discutir isso, meu foco não era esse. Meu foco era o Flamengo, uma decisão. Foi passando o tempo, faltava uma semana para a gente jogar a final do Mundial, uma dessas equipes foi ao Brasil. Disseram que eu tinha que assumir antes da final. E eu disse não. Enquanto não falar com os dirigentes e disar a final, eu não discuto isso. Eles foram buscar outras soluções, e eu disse “ok”.
 
VEJA OUTROS TRECHOS DA COLETIVA:
 
CRÍTICAS DE RENATO GAÚCHO
 
"Eu achei que só poderia responder as críticas com trabalho, foi o que fiz. Renato também nunca saiu do Brasil, nunca ganhou um Brasileiro. Mas é um treinador querido no Brasil, antes de eu chegar era o número um".
 
DESAFIOS NA TEMPORADA
 
"O Flamengo no ano vai ter um grande adversário: o Flamengo. Vai ter pela frente todos os recordes que escrevemos. Esse é o grande desafio que vamos ter para o ano".
 
BAIXAS NO ELENCO
 
"Um posso perder, os dois não (Gabigol e Bruno Henrique). O Gabigol não é jogador do Flamengo, é dA Inter. O Bruno Henrique tem muita gente em cima dele, principalmente chineses".
 
MUDANÇAS NO FLAMENGO
 
"Comecei a ver qual era a ideia do Flamengo em termos de viagem. Avião comercial, os jogadores antes de irem para o avião, muito tempo em pé. O Flamengo é um clube nacional, os torcedores sempre em cima dos jogadores, não descansavam, uma grande confusão. Eu tinha que mudar isso. Chamei os responsáveis e perguntei, “vocês querem ser campeões? Querem ser diferentes? Temos que mudar isso”.
 
Não é mudar a estrutura, é mudar o conceito. “Primeira coisa que quero saber, vocês têm força política?”. “Temos”. Então os jogadores do Flamengo vão viajar em avião fretado. Quem gasta milhões num treinador, também tem que gastar na qualidade dos jogadores para fazerem uma viagem de recuperação. Vão sair do avião dentro do ônibus do Flamengo, na pista do aeroporto e ninguém mais os vê".